Skip to main content

3 etapas para evitar o roubo e sequestro de cargas!

Existem determinadas ações que tornam-se decisivas quando o objetivo é evitar roubos e sequestros no transporte de cargas.

Em um país onde temos um índice relativamente alto de ocorrências neste sentido, a pergunta que se forma na mente dos gestores é “Como ficar longe destas estatísticas?”


Apesar dos motoristas muitas vezes estarem vulneráveis neste sentido, existe uma boa notícia! Ela é sobre o fato de hoje existirem medidas que acabam por se tornar agentes que evitam o roubo ou sequestro no transporte.


Para início de conversa, saiba que é necessário instruir o motorista profissional para tomar medidas que evitem determinadas situações de risco. Saiba agora, como fazer isso na prática:

Evitar roubos e sequestros envolve diversos fatores como…

1° Etapa: Antes do início da viagem

Algumas medidas são essenciais para o início da viagem, um item que já falamos no atsblog e que é importante, é a manutenção preventiva, afim de evitar imprevistos, mas além desse item, existem outras medidas que podem ser verificadas abaixo:

– Planeje a viagem:

Tenha o trabalho de planejar a rota da viagem, e quando o fizer, observe e opte por estradas confiáveis e com postos policiais e cidades nas proximidades. (E lembre-se de considerar as paradas, para que o motorista as realize nos horários que no planejamento, foram considerados ideais.) Neste sentido busque opções seguras com paradas em hotéis ou também em postos de combustíveis.

– Atenção ao plano de viagem:

Tenha como regra intrínseca na organização a existência de um sigilo quanto ao plano, a divulgação mesmo que de forma leviana sobre o trajeto a ser percorrido, pode não ser benéfica.

Caso o plano de viagem seja mantido em sigilo, a possibilidade de ocorrer perseguições é menor, o que aumenta a segurança da viagem.

– Trabalhe com rastreio de cargas:

As empresas de gerenciamento de risco, por exemplo, são aliadas neste sentido, pois além da segurança que proporcionam elas podem orientar e tomar as providências necessárias diante das situações de risco.

Existem ainda, as transportadoras que decidem ter uma central de gerenciamento de riscos própria, elas criam um setor dentro da própria transportadora com finalidade de aumentar a segurança tendo um controle ainda maior sobre os acontecimentos.

2° Etapa: Durante o trajeto

Olhando para o comportamento do motorista “na estrada” de forma mais propriamente dita, é necessário ressaltar que as atitudes do profissional não devem ter um caráter chamativo ou alarmante.

É importante que o profissional sempre tenha cautela em suas ações, como por exemplo, não dar carona para pessoas desconhecidas, evitar paradas em locais que não conhece e, realizar as paradas em lugares visivelmente seguros.

3° Etapa: Garanta segurança no descarregamento

Sempre verifique se é possível efetuar a descarga do caminhão no mesmo dia de chegada ao local. Entretanto, se isso não for possível, a dica neste item é, procurar um estacionamento seguro para o pernoite.

Também é importante estar sempre atento às imediações do local de entrega, e após realizar o descarregamento, verifique todos os itens do caminhão, antes de seguir viagem.

Com estas dicas, você pode ficar longe de diversos fatores de risco durante a viagem. Mas e aí, o que achou de cada uma delas? Conta pra gente!

Conheça também o ATSguard! Um sistema completo em gerenciamento de risco.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial