Skip to main content

Manutenções Corretivas, Preventivas e Preditivas (Quando aplicar cada uma em sua frota)

A manutenção preventiva de caminhões não é um termo novo, mas independentemente disto, você sabe o real significado dela? Pois leia agora sobre a Manutenção Corretiva e Manutenção Preventiva e saiba as diferenças de cada uma delas.

Os diversos tipos de manutenção

Existem 03 tipos básicos de manutenção que são aplicadas na gestão de frotas:

  • corretiva;
  • preventiva e
  • preditiva.

Manutenção Preventiva

Defeito já ocorreu e a peça precisa ser trocada.

Preventiva

Defeito ainda não ocorreu e a peça precisa ser trocada preventivamente.

Defeito ainda não correu, mas pelo conceito de vida útil da peça (trocar em “x” quilômetros de uso) a peça deverá ser trocada.

Preditiva

Defeito ainda não ocorreu, a peça precisaria ser trocada preventivamente, mas ainda não será, pois ainda mantém qualidade de usabilidade.

Nesse tipo de manutenção, utiliza-se os manuais dos fornecedores como referências, mas através de um banco de dados histórico interno, são estabelecidos padrões que permitem estender o prazo de uso de determinados componentes.

A sequência correta de aplicação (na visão técnica e de custo)

Existe uma sequência técnica de aplicação dos tipos de manutenção que levam a uma excelente economia:

Interessante porque essa sequência acaba tirando aquela impressão que “sai caro fazer manutenção preventiva” conforme instruções do fabricante, pois claro que ao seguir ao pé da letra as instruções dos manuais, algumas manutenções podem sair caro mesmo, mas para evitar esse tipo de situação é necessário utilizar ao máximo o conceito de “inspeções”.

Inspecionar e testar componentes num plano previamente definido leva a economias espetaculares pelo simples fato de se programar a troca conforme os resultados obtidos.

Estradas diferentes – Cargas diferentes – Desgastes diferentes – Manutenções diferentes

Cada veículo tem sua história e ela precisa ser levada em consideração quando pensamos em planejar a manutenção.

É claro que em veículos que trafegam em estradas em péssimas condições de conservação e ainda transportam cargas muito pesadas necessitam muito mais de manutenções do que veículos em condições opostas, certo?

Logo, não podemos seguir um plano de manutenção preventiva levando em consideração apenas o manual do fabricante, pois é evidente que na situação acima teremos planos de manutenção distintas.

Manutenção preditiva é a opção número 1

Por isso a manutenção preditiva precisa ser a opção número um no que diz respeito a manutenção da frota.

Manutenção preventiva é a opção número 2

A manutenção preventiva é a segunda opção pelo simples fato de ser a segunda mais cara, pois ela tem o conceito de efetivamente trocar a peça a cada “x” unidade de tempo.

Manutenção corretiva é a opção número 3

Ela é a última opção porque pode gerar:

  • menos segurança ao motorista;
  • menos segurança a carga;
  • atrasos nas entregas;
  • custos adicionais de viagem e
  • aumento nos custos de manutenção pela quebra de outros componentes que dependem daquele que quebrou.

Existem exceções? A sequência de manutenção pode ser diferente?

Sim. Vamos a elas:

  • como vamos inspecionar peças em locais onde é impossível inspecionar componentes?
  • iremos correr risco de não substituir um componente que põe em risco o motorista, clientes e outros motoristas?

Podem haver situações onde a própria manutenção corretiva se justifique.

Como regra geral, aplique a manutenção preditiva onde puder.



 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial